skip to Main Content
Área de utilizador

1.Recomendações da Sociedade Europeia de Imagem Cardiovascular no contexto de infeção por COVID-19.

Referência bibliográfica 1 : COVID-19 pandemic and cardiac imaging: EACVI recommendations on precautions, indications, prioritization, and protection for patients and healthcare personnel. Skulstad et al.

European Heart Journal – Cardiovascular Imaging (2020)

Descrição sumária:Documento orientador da Sociedade Europeia de Imagem Cardiovascular sobre a utilização dos meios complementares de imagem cardiovascular no doente com infeção ou suspeita de infeção por COVID. Destacam-se a necessidade de avaliação criteriosa da indicação do estudo, a necessidade equipamento de proteção adequado e o modo como o exame, particularmente o ecocardiograma transtorácico deve ser executado.

2.SARS-CoV 2 e Rx tórax

Referência bibliográfica 2 : Frequency and Distribution of Chest Radiographic Findings in COVID-19 Positive Patients . Frank Wong HY et al. Radiology Published Online: Mar 27 2020

Descrição sumária: Série de 64 casos de Doentes com infeção por COVID-19, em que todos foram submetidos a telerradiografia do tórax. Principais conclusões:

-A maioria apresentou alterações na telerradiografia do tórax, mas a sensibilidade do Rx (61%) foi inferior à do estudo molecular por RT-PCR (91%)

-A consolidação foi o achado mais frequente (47% da amostra), seguido da opacidade em vidro despolido.

-Alterações radiológicas predominantemente à periferia e no andar pulmonar inferior, sendo frequentemente bilaterais.

-Pico das alterações radiológicas entre o décimo e décimo segundo dia de doença

3.Revisões sobre TAC torácica e infeção por SARS-CoV2

Referência bibliográfica 3 :Coronarvirus disease 2019 (COVID-19): a systematic review of imaging findings in 919 patients. Salehi S. Am J Roentg:

Descrição sumária:

-TAC numa fase inicial: opacificações pulmonares em vidro despolido, com uma distribuição posterior e periférica, a envolver predominantemente os lobos inferiores. Podem existir outras manifestações radiológicas.

-TAC numa fase avançada: Aumento do número e da dimensão das opacidades em vidro despolido, com evolução para consolidações. Geralmente pelo décimo dia de doença as alterações na TAC são mais exuberantes.

-TAC numa fase de recuperação: Após a segunda semana, resolução gradual do número e da gravidade das consolidações e das opacidades em vidro despolido.

Referência bibliográfica 4 :Chest CT manifestations of new coronavirus disease 2019 (COVID-19): a pictorial review. Ye Zheng et al. European Radiology

Descrição sumária:

-Opacidades pulmonares em vidro despolido, consolidações pulmonores, padrão reticular são as alterações tomográficas mais frequentes no contexto de infeção por COVID-19

-Há, contudo, outras alterações, que são consideradas “emerging atypical CT manifestations” como alterações nas vias aéreas, na pleura, fibrose, nódulos…

-A TAC torácica pode ter uma associação à progressão da doença.

Back To Top
Quero ser Sócio