Dia Internacional da Mulher: “Sabe os seus números?”

Para além dos números que já sabe de cor – contactos telefónicos, datas de aniversário, passwords, etc – a SPC quer que conheça os números que realmente importam e que podem salvar uma vida.

As doenças cardiovasculares atingem mais mulheres do que homens e, neste dia dedicado ao género feminino, a SPC recorda que os números do coração também importantes: colesterol, glicemia, pressão arterial e índice de massa corporal (IMC). Todos estes fatores encontram-se relacionados com os riscos de sofrer uma doença cardiovascular e, por isso, a SPC encoraja todas as mulheres a conhecerem os seus números, mesmo as que não têm comportamentos de risco:

– O valor do colesterol total deverá ser inferior a 190mg/dl;

– A glicemia deve manter-se entre os 70mg/dl e os 100mg/dl. Menos de 70 mg/dl é considerado hipoglicemia e mais de 100 mg/dl é indicada pré-diabetes;

– Relativamente à pressão arterial, o valor de referência para a pressão diastólica (mínima) é inferior a 90mm/hg e para a sistólica (máxima) inferior a 140mm/hg. Ultrapassando estas referências, pode-se verificar um caso de hipertensão.

– O cálculo do Índice de Massa Corporal (IMC) faz-se dividindo o peso (kg) pelo quadrado da altura (m). O resultado desta fórmula deverá encontra-se entre 18.5 e 24.9 kg/m para se inserir na categoria de peso saudável.

A SPC alerta ainda para o facto de as mulheres serem mais afetadas por doenças cardiovasculares do que os homens e que tal deve-se a outros fatores como: o tabagismo, visto que a percentagem de mulheres fumadoras aumentou ao longo dos anos, em contraste com a percentagem dos homens que tem vindo a diminuir; o diagnóstico tardio e a dificuldade em ler os sinais de alerta; e o sedentarismo, uma vez que a percentagem de mulheres que pratica exercício físico continua a ser inferior.

“É importante que, neste dia, as mulheres conheçam os seus números e que entendam que as doenças cardiovasculares ainda são a principal causa de morte em Portugal”, afirma o presidente da SPC, João Morais, citado em comunicado.