skip to Main Content
Área de utilizador
Provas públicas de defesa da tese de doutoramento do Prof. Hélder Dores foram um sucesso.

Decorreu no passado dia 20 de maio, na NOVA Medical School, a defesa da tese de doutoramento do Prof. Hélder Dores, subordinada ao tema “Cardiovascular Risk Assessment in Athletes: The Role of Electrocardiography and Imaging” e desenvolvida sob a orientação dos Profs. Pedro de Araújo Gonçalves, Nuno Cardim e Nuno Neuparth.

A tese incluiu 21 artigos publicados na Revista Portuguesa de Cardiologia e em várias revistas internacionais (Journal of the American College of Cardiology, Circulation: Cardiovascular Quality and Outcomes, European Journal of Preventive Cardiology, Internacional Journal of Cardiovascular Imaging, British Journal of Sports Medicine), a maioria resultante de investigação original e da parceria entre várias instituições nacionais e internacionais (impact factor total 56,723).

 

Esta investigação centrou-se na avaliação pré-competitiva do atleta, em todo o seu espectro, desde o atleta jovem ao veterano, com ênfase nas limitações e controvérsias das metodologias recomendadas na atualidade: no jovem avaliação clínica e eletrocardiograma; no veterano estratificação de risco cardiovascular e prova de esforço. As técnicas de imagem apesar de não estarem recomendadas são fundamentais na avaliação do atleta. Neste contexto, como a ecocardiografia permanece o exame de imagem de primeira linha na distinção entre adaptação fisiológica (“coração de atleta”) e patologia, alguns aspetos desafiantes desta técnica também foram analisados.

O racional da investigação encontra-se resumido na figura, sendo as principais linhas de investigação:

  1. Eletrocardiograma no atleta: significado das ondas T negativas; relação entre características do exercício e alterações patológicas; variabilidade da interpretação e custos associados com exames adicionais; comparação dos critérios de interpretação;
  2. Ecocardiografia no atleta: relação entre diferentes características de exercício e remodelagem cardíaca estrutural e funcional, nomeadamente na deformação miocárdica (strain longitudinal global);
  3. Estratificação de risco cardiovascular e doença coronária (DC) no atleta veterano: prevalência da DC em atletas veteranos; limitações da estratificação de risco convencional, baseada em características clínicas e prova de esforço; o papel de parâmetros da Angio TC cardíaca na avaliação do atleta e reclassificação de risco; relação entre volume de exercício e carga aterosclerótica coronária.

Alguns dos resultados destes estudos têm impacto e aplicação direta na prática clínica, permitindo otimizar a avaliação pré-competitiva do atleta e alargar o conhecimento da Cardiologia Desportiva, uma área cada vez mais importante.

Back To Top
Quero ser Sócio