A Cardiologia de intervenção ficou mais pobre

Hoje deixou-nos o Prof. Doutor Ricardo Seabra Gomes. A Sociedade Portuguesa de Cardiologia manifesta o seu pesar pela partida de um dos grandes nomes e referências da cardiologia nacional e presta as mais sentidas condolências a toda a família e amigos.

Ricardo Seabra Gomes, foi responsável pela realização da primeira angioplastia coronária em Portugal que celebrou este ano os seus 41 anos.

Realizada em 1977 pelo médico Andreas Gruentzig, em Zurique, em Portugal, o médico pioneiro foi Ricardo Seabra Gomes que, em 1984, fez a primeira angioplastia, o que pode foi considerado como uma verdadeira revolução na medicina.

Ricardo Seabra Gomes foi Coordenador Nacional para as Doenças Cardiovasculares (2005-2008) e foi Diretor do Departamento de Cardiologia do Hospital Santa Cruz (1984-2005). Entre 1973 e 1978, foi investigador no National Heart Hospital e Cardiothoracic Institute, em Londres. Foi presidente da Sociedade Portuguesa de Cardiologia entre 2001 e 2003. É autor ou co-autor de mais de 500 artigos científicos e tem quase 1.200 resumos publicados.

Relambramos, ainda, as suas palavras, as últimas que nos deixou aquando da sua homenagem no Congresso Português de Cardiologia de 2018 quando questionado sobre o futuro da cardiologia nacional:

“Devíamos caminhar no sentido de tornar os registos obrigatórios, mas eu tentei de tudo e não consegui. A verdade é que em Portugal não há ninguém que queira pensar que é necessário fazer o follow up dos doentes. Porque é que os registos deviam ser obrigatórios? Para que os médicos saibam o que se está a praticar. Grandes números significam perguntas simples. Depois, é só avaliar as consequências…

Aproveito igualmente para deixar um conselho para aqueles que querem entrar em Medicina ou que tenham entrado recentemente: procurem ser o melhor possível, à custa do sacrifício. As pessoas têm de investir nelas próprias, têm de lutar de forma responsável. Não é aceitável que falhem por falta de formação… e se a formação lhes é vedada; ou seja, se não lhes vai chegar a não ser que a procurem, então está nas mãos deles lutar por ela. É fulcral que sejam perseverantes! “

A Cardiologia de intervenção ficou mais pobre, mas todos mais ricos por termos tido o privilégio de herdar o saber e a experiência do Prof. Seabra Gomes. 

Outras Notícias
Artigos Revista SPC