SPC PROMOVE CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM MEDICINA CARDIOVASCULAR

Entre os dias 10 a 12 de janeiro, os cardiologisas portugueses são convidados a fazerem uma atualização de conhecimentos na área do diagnóstico, tratamento e prevenção das doenças cardiovasculares, com base na revisão das novidades publicadas em 2018.

Os avanços no diagnóstico, prevenção e tratamento da patologia cardiovascular permitiram uma redução de 40% da mortalidade associada a estas doenças. Neste contexto, é fundamental que os cardiologistas que se dedicam à prática clínica se mantenham atualizados sobre todos os novos conhecimentos que vão surgindo nesta área.

Foi nesse sentido que a Sociedade Portuguesa de Cardiologia desenvolveu o Curso de Atualização em Medicina Cardiovascular 2019, integrado na Academia Cardiovascular da SPC. “O objetivo é fazer uma revisão dos últimos estudos, ensaios clínicos e guidelines que marcaram o ano 2018 e levaram a uma alteração da forma como tratamos ou compreendemos a doença cardiovascular”, explica o Prof. Ricardo Fontes-Carvalho, diretor do curso.

Os temas abrangerão todo o continuum cardiovascular, da prevenção à abordagem da insuficiência cardíaca, passando pela arritmologia, dispositivos e tecnologias para o futuro da Cardiologia, sem esquecer a discussão das grandes controvérsias atuais da Medicina Cardiovascular.

Consulte o programa aqui.

DISCURSO DIRETO | Prof. Ricardo Fontes-Carvalho, diretor do Curso de Atualização em Medicina Cardiovascular

Quais os objetivos deste curso?

Na Medicina Cardiovascular estão sempre a surgir estudos que contribuem para o avanço do conhecimento, do diagnóstico e do tratamento das doenças cardiovasculares. Como as novidades se sucedem, é difícil para os cardiologistas conseguirem estar atentos a tudo, em todas as áreas. Assim, este curso é dirigido, sobretudo, aos especialistas que fazem clínica que querem ter uma atualização na forma como se abordam as patologias cardiovasculares. Neste sentido, serão analisadas todas as novidades dos últimos dois anos nas áreas que se inserem no âmbito da prevenção, da arritmologia, da insuficiência cardíaca e da Cardiologia de intervenção.

Que exemplos gostaria de destacar dos principais aspetos que serão discutidos?

Um, que incluirá uma sessão com dois especialistas a confrontarem-se num duelo pró e contra,e que será sobre a utilização do dispositivo mitraclip na insuficiência mitral. Este é um dos grandes tópicos de 2018. Outro é o estudo CABANA, sobre a utilidade da ablação da fibrilhação auricular no risco de eventos cardiovasculares. A 3.ª grande área que vamos debater é o tratamento da doença coronária estável, ou seja, se, nestes doentes, vale a pena fazer angioplastia com colocação de stent, a propósito do estudo ORBITA. Como se trata de uma área cinzenta da Cardiologia, vamos detalhar estes temas.

Gostaria também de destacar a conferência intitulada “Conversas aquém e além da Cardiologia”, que será proferida pelo Prof. Stuart Pocock, um especialista mundial envolvido na análise estatística dos ensaios clínicos, que nos ajudará a decifrar a estatística por trás destes ensaios clínicos e a perceber como, por vezes, cometemos erros de interpretação desses dados.

Que mensagens gostaria que os participantes importassem deste curso para a sua prática clínica?

Abrir a mente dos cardiologistas para que continuem a questionar se a sua prática é a mais correta e, dessa forma, contribuir para que continuem a progredir no tratamento da doença cardiovascular, com base na melhor evidência científica. Entendemos que este tipo de iniciativas são importantes para melhorar os padrões de diagnóstico e tratamento da doença e, consequentemente, terão impacto na saúde dos portugueses. Concluíndo, este curso é uma forma de contribuir para aquele que é o desígnio da SPC: através da formação, reduzir a mortalidade de causa cardiovascular no nosso país.

Outras Notícias
Artigos Revista SPC